(46) 3524-2653

amsop@amsop.com.br

Rua Peru Nº 1301 - Miniguaçu

Francisco Beltrão, PR

Seg / Sex: 8h às 17h30

FECHADO AGORA

Notícias

Sudoeste conquista vaga em grupo que construirá Política Nacional do Leite

Durante reunião com a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na noite de terça-feira (26) em Brasília, o Sudoeste do Paraná conquistou uma cadeira na Câmara Setorial do Leite e Derivados. Este é o colegiado que construirá a Política Nacional do Leite, um conjunto de normas para fomentar a produção e comercialização do leite no Brasil.

A reunião com a ministra foi articulada pela deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR) e contou com a participação do presidente da Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná), Mauro Cenci, e do deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR).

A deputada Leandre apresentou à ministra um Projeto de Lei que Institui a Política Nacional de Melhoria na Qualidade e Sustentabilidade do Leite. O PL é uma contribuição ao ministério para construção da Política Nacional do Leite. O texto foi desenvolvido em parceria com a AMSOP e contém as reivindicações repassadas por produtores da região Sudoeste.

“A gente sabe que a produção de leite é fundamental para a economia da nossa região Sudoeste do Paraná. Então trouxemos à ministra essa contribuição, que foi elaborada através de reuniões realizadas com produtores de leite de vários municípios. E, em contrapartida, conquistamos uma vaga para o Sudoeste neste grupo seleto de pessoas que vão debater e construir a Política Nacional do Leite”, reforçou a deputada Leandre.

O presidente da Amsop, Mauro Cenci, entregou à ministra um ofício da entidade destacando o protagonismo do Sudoeste na cadeia produtiva de leite do Estado do Paraná, bem como a importância da atividade para a economia da região.  

"O Sudoeste é hoje a maior bacia leiteira do Paraná, evoluímos muito em escala, produtividade e qualidade e, principalmente mantendo a característica de produção familiar. Nesse contexto, boa parte da própria sustentabilidade dos municípios se apoia no regular desenvolvimento da produção leiteria. Quando há um impacto direto ao produtor, há consequências indiretas à toda cadeia produtiva e também a problemas de ordem econômica e social nos municípios”, afirmou Mauro.

Para ele, é necessária uma política sólida para assegurar a diminuição dos custos de produção e competitividade do leite brasileiro em relação ao produto estrangeiro, dando garantias ao ciclo de produção do leite e consequentemente a própria sustentabilidade municipal.

De acordo com Mauro, nos próximos dias a entidade vai debater com os municípios e prefeitos quem será a pessoa responsável por representar o Sudoeste na Câmara Setorial. “Vamos eleger um técnico, que tenha conhecimento profundo na área”, concluiu.